segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Dívida Pública Portuguesa - SET/2015 - Dados do Banco de Portugal



Já estão disponíveis os dados do Banco de Portugal, que incluem os depósitos que o Estado detém e que, na prática, podem abater à dívida para obter a dívida líquida.

Evolução da dívida líquida:

Dezembro de 2010 : 158.736 mil milhões de €€ (boletim 04/2013)
Dezembro de 2011 : 170.904 (boletim 04/2013)
Dezembro de 2012 : 187.900 (boletim 04/2013)
Dezembro de 2013 : 196.304 (boletim 04/2014)
Dezembro de 2014 : 208.128 (boletim 05/2015)

Setembro de 2015 : 212.121 (boletim 10/2015)

Aumento diário da dívida líquida:

2011 : 33.336.986€
2012 : 46.437.158€
2013 : 23.024.658€
2014 : 32.394.521€
2015 (até final de setembro) : 14.626.374€

Em 2015 o aumento líquido da dívida é menor e os depósitos eram cerca de 18.2 mil milhões de € ( + de 10% do PIB).

Até breve!

7 comentários:

GPC disse...

não é 158.736 é 158 736 (quem põe pontos finais em números?!)

não é 158.736 mil milhões de €€ é 158 736 milhões de euros.
irra.

Trader disse...

Obrigado pela sugestão. O "ponto" ou a "virgula" têm utilizações específicas e diferentes consoante o país em que estamos.
Não me parece que seja um pormenor relevante, desde que a informação passe.

Vítor Nogueira disse...

Fala-se que a divida pública aumentou desde o tempo do governo de Sócrates, o que lhe pergunto é o seguinte em 2010 a dívida era de 158 736 mil milhões, valor ainda sem empréstimos da Troika... somando os 78 mil milhões de empréstimo da Troika o valor da dívida daria 236 736 mil milhões...

Em 2015 o valor da dívida é 212 121 mil milhões... afinal a divida aumentou ou não conforme afirmam...?

Vítor Nogueira disse...

pode-se ir mais longe ainda já que os 170 904 mil milhões pela informação do boletim de 04/2011 ainda não continha qualquer valor da Troika por isso pode-se ir antes por um valor com empréstimo da Troika...

(2011) 248.904 milhões de €€
vs
(2015) 212.121 milhões de €€

Trader disse...

O empréstimo da troika não soma à dívida que existia, pois uma parte foi utilizada para pagar dívida que ia vencendo.
Parte desse dinheiro estava "cativo" para ser utilizado no apoio aos bancos e não foi utilizado na totalidade. Esta parcela, aliás, terá efeito ainda mais reduzido pois os bancos foram devolvendo o que receberam (ainda faltam completar as devoluções a CGD, BANIF e BCP se não me falha a memória) e o Estado acabou por não pagar juros desta parte, pois foram suportados pelo bancos.

Luis Veiga disse...

Parabéns pela excelente forma deste blog. Consulto regularmente.

Vítor Nogueira disse...

Só percebendo ao pormenor para onde foi cada cêntimo do empréstimo da Troika... 20 mil milhões sei que ficaram em cativo e o restante usado, 6 mil milhões para os bancos, falta saber quanto foi para abater dívida, quanto foi para pagamento de contas correntes, sei que o estado pagou divida da RTP, pagou divida da TAP, pagou divida de hospitais... e estas dividas não são dividas públicas...