quarta-feira, 28 de setembro de 2016

A quem deve o Estado?

O financiamento do Estado é feito, neste momento, através de
  • Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro (dirigidos a institucionais)
  • Certificados de Aforro e do Tesouro e OTRV (dirigidos a particulares)
  • Troika (que financiou o Estado anos de assistência Financeira)
Há outros itens na dívida, mas os anteriores respondem por cerca de 94% do total, assim distribuídos:
  • Obrigações do Tesouro e Bilhetes do Tesouro: 127,556 M€ (53.8%)
  • Certificados de Aforro e do Tesouro e OTRV: 25,141M€ (10.6%)
  • Troika: 70,141 M€ (29.6%)
fonte

Até breve!

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Execução Orçamental - AGO/2016

Após 2/3 do ano e assim vai a execução orçamental.

Estes dados compreendem os 8 primeiros meses de 2016 e os últimos 4 meses de 2015. Período marcado pela campanha eleitoral, eleições e todas as peripécias para a formação do governo.

Os dados seguintes comparam os 12 meses terminados em AGO/2016 com os 12 meses terminados em AGO/2015:

Receita Total : 42,991M€ ( + 378M€ ; + 0.9% )

Das quais :
Receitas fiscais : 38,986M€ ( + 551M€ ; + 1.4%)

IRS : 11,918M€ ( - 927M€ ; - 7.2%)
IRC : 4,995€ ( + 166M€ ; + 3.4%)
IVA : 14,870M€ ( + 226M€ ; + 1.5%)
ISP : 2,883M€ ( + 690M€ ; + 31.4%)

Despesa Total : 49,333M€ ( + 88M€ ; + 0.2%)

Despesa Corrente Primária : 41,877M€ ( + 45€ ; + 0.1%)

Despesa de Capital : 1,327€ ( - 12M€ ; - 0.9%)

Despesas com juros : 7,456M€ ( + 43M€ ; + 0.6%)

Saldo Primário : + 1,114M€ ( melhorou 333M€ )

Saldo : -6,342M€ ( melhorou 290M€ ; corresponde a 3.5% do PIB projetado para 2016)

(melhoria do saldo: receitas, receitas, receitas...)

Até breve!

domingo, 25 de setembro de 2016

Dívida Pública Portuguesa - AGO/2016 - IGCP

A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de agostoo de 2016, o valor de 238.917.356.166€ .

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

(Nota: a partir de 2016, os números incluem a cobertura cambial efetuada pelo IGCP)

2016 : + 38.796.139€ (últimos 12 meses terminados em AGO/2016)
2015 : + 25.305.121€
2014 : + 35.271.397€
2013 : + 26.667.217€
2012 : + 53.616.271€
2011 : + 63.331.160€
2010 : + 52.132.112€
2009 : + 39.133.457€

Este mês a dívida emitida diminuiu cerca de 3.339.690.192M€.

Comentários:

1. em Agosto foram subcritos 339M€ em certificados de aforro e do tesouro
2. 10.52% (10.08% no mês passado) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (1.950M€).

Eu diria que em Agosto se tenha tido de reforçar a almofada para fazer face aos juros+reembolsos de Setembro (3.122M€ em bilhetes do tesouro) e Outubro (5.464M€ em obrigações do tesouro).

Até breve!

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Importações/Exportações de bens - INE - JUL/2016


Motivado por esta notícia sobre a importação e exportação de bens:

Exportações caem 4,6% em Julho face ao ano anterior

fui buscar o ficheiro do INE e comecei a fazer contas. No entanto, utilizei média móveis de 12 meses para tentar diluir algum efeito extraordinário que pudesse existir.
E os números dizem que:

No total dos 12 meses terminados em Julho de 2015 as:
  • Importações foram de 60,276 mil milhões de €€
  • Exportações foram de 51,325 mil milhões de €€
  • Saldo : -8,951 mil milhões de €€ 
enquanto que no total dos 12 meses terminados em Julho de 2016 as:
  • Importações foram de 59,510 mil milhões de €€ (diminuiram 766 milhões de €€, ou  1.3%)
  • Exportações foram de 53,407 mil milhões de €€ (aumentaram 2,082 mil milhões de €€, ou  4.1%)
  • Saldo : -6,103 mil milhões de €€ (diminuiu 2,848 mil milhões de €€, ou 31.8%)
Ainda assim, tem havido uma melhoria que não me parece pequena.

Até breve!

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Dívida Pública Portuguesa - JUL/2016 - Dados do Banco de Portugal

Evolução da dívida líquida:

Dezembro de 2010 : 158.736 mil milhões de €€ (boletim 04/2013)
Dezembro de 2011 : 170.904 (boletim 04/2013)
Dezembro de 2012 : 187.900 (boletim 04/2013)
Dezembro de 2013 : 196.304 (boletim 04/2014)
Dezembro de 2014 : 208.195 (boletim 01/2016)
Dezembro de 2015 : 218.093 (boletim 03/2016)
Julho de 2016 : 224.307 (boletim 07/2016)

Variação diária da dívida líquida:

2011 : + 33.336.986€
2012 : + 46.437.158€
2013 : + 23.024.658€
2014 : + 32.394.521€
2015 : + 26.065.753€
2016 : + 30.345.205€ (últimos 12 meses terminados em JUL/2016)

Em julho de 2016, os depósitos aumentaram cerca de 364M€ ficando perto dos 20,8mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de julho de 2015, o aumento é cerca de 2,7 mil milhões de euros.

Até breve!

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Lucros da Banca - 2009/2016 (1ºsemestre)

Antes de colocar a imagem que quero mostrar, quatro ressalvas:
  1. este blog não é sobre banca,
  2. não sou entendido no negócio bancário,
  3. talvez por causa do ponto anterior, tenho semprew algumas reservas sobre os números da banca pois não se trata de vender coisas mas sim de operações que têm o seu quê de subjetividade, imprecisão e risco,
  4. não incluí BES, BPN e BPP por não ter conseguido encontrar os dados.
Mas o que quero mesmo é deixar os números declarados dos lucros de alguns dos bancos que operam em Portugal, no período descrito no título do post. Estes números não têm em conta nenhuma outra análise, como a qualidade dos ativos e passivos de cada banco. (clique na imagem para aumentar)


Obviamente que todo e qualquer erro do quadro anterior é da minha responsabilidade. Os valores apresentados têm por base os relatórios que existem nos sites dos bancos e estão sujeitos a erro, tanto de leitura como de digitação para a folha de cálculo. Agradeço, desde já, toda a correção que me seja comunicada!

De realçar que
  • antes da crise o negócio rendia acima dos mil milhões de €€ por ano (2009 e 2010);
  • as perdas da CGD e MillenniumBCP foram de 5,6 mil milhões de euros desde 2011;
  • os lucros acumulados do SantanderTotta foram de 1,967 mil milhões de euros desde 2009;
  • os lucros acumulados do BancoBPI foram de 571 milhões de euros desde 2009;
  • os lucros acumulados do BancoBIG foram de 314 milhões de euros desde 2009.
Daqui se pode concluir que
  • o problema dos prejuízos na banca está mais concentrado em duas entidades (se não contarmos as que entretanto desapareceram...)
  • ainda há bancos que, sustentadamente, conseguem prosseguir a sua atividade e retirar lucros do mercado.
Até breve!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Execução Orçamental - JUL/2016

Entrados na segunda metade do ano, eis como vai a execução orçamental.

Estes dados compreendem os 7 primeiros meses de 2016 e os últimos 5 meses de 2015. Período marcado pela campanha eleitoral, eleições e todas as peripécias para a formação do governo.

Os dados seguintes comparam os 12 meses terminados em JUL/2015 com os 12 meses terminados em JUL/2016:

Receita Total : 43,585M€ ( + 1,433M€ ; + 3.4% )

Das quais :
Receitas fiscais : 39,477M€ ( + 1,390M€ ; + 3.6%)

IRS : 12,323M€ ( - 515M€ ; - 4.0%)
IRC : 5,129€ ( + 376M€ ; + 7.9%)
IVA : 14,884M€ ( + 450M€ ; + 3.1%)
ISP : 2,809M€ ( + 632M€ ; + 29.0%)

Despesa Total : 49,144M€ ( - 50M€ ; - 0.1%)

Despesa Corrente Primária : 41,664M€ ( - 142€ ; - 0.3%)

Despesa de Capital : 1,304€ ( - 42M€ ; - 3.1%)

Despesas com juros : 7,480M€ ( + 192M€ ; + 2.6%)

Saldo Primário : + 1,920M€ ( melhorou 1,575M€ )

Saldo : -5,559M€ ( melhorou 1,383M€ ; corresponde a 3.1% do PIB projetado para 2016)

(melhoria do saldo: praticamente 100% receitas)

Até breve!

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Dívida Pública Portuguesa - JUL/2016 - IGCP (corrigido)

A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de julho de 2016, o valor de 234.048.514.224€ .
(o valor a negrito foi corrigido dos valor atual dos derivados financeiros em carteira)

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

(Nota: a partir de 2016, os números incluem a cobertura cambial efetuada pelo IGCP)

2016 : + 30.017.861€ (últimos 12 meses terminados em JUL/2016)
2015 : + 25.305.121€
2014 : + 35.271.397€
2013 : + 26.667.217€
2012 : + 53.616.271€
2011 : + 63.331.160€
2010 : + 52.132.112€
2009 : + 39.133.457€

Este mês a dívida emitida diminuiu cerca de 697M€.

Comentários:

1. em Julho foram subcritos 274M€ em certificados de aforro e do tesouro
2. 10.08% (9.94% no mês passado) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (750M€).

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Dívida Pública Portuguesa - JUN/2016 - IGCP

A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de junho de 2016, o valor de 234.745.710.485€ .
A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

(Nota: a partir de 2016, os números incluem a cobertura cambial efetuada pelo IGCP)

2016 : + 38.617.710€ (últimos 12 meses terminados em JUN/2016)
2015 : + 25.305.121€
2014 : + 35.271.397€
2013 : + 26.667.217€
2012 : + 53.616.271€
2011 : + 63.331.160€
2010 : + 52.132.112€
2009 : + 39.133.457€

Este mês a dívida emitida aumentou cerca de 1.954M€.

Comentários:

1. em Maio foram subcritos 255M€ em certificados de aforro e do tesouro
2. 9.94% (9.59% no mês passado) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Dívida Pública Portuguesa - JUN/2016 - Dados do Banco de Portugal

Evolução da dívida líquida:

Dezembro de 2010 : 158.736 mil milhões de €€ (boletim 04/2013)
Dezembro de 2011 : 170.904 (boletim 04/2013)
Dezembro de 2012 : 187.900 (boletim 04/2013)
Dezembro de 2013 : 196.304 (boletim 04/2014)
Dezembro de 2014 : 208.195 (boletim 01/2016)
Dezembro de 2015 : 218.093 (boletim 03/2016)
Junho de 2016 : 221.996 (boletim 06/2016)

Variação diária da dívida líquida:

2011 : + 33.336.986€
2012 : + 46.437.158€
2013 : + 23.024.658€
2014 : + 32.394.521€
2015 : + 26.065.753€
2016 : + 28.100.817€ (últimos 12 meses terminados em JUN/2016)

Em junho de 2016, os depósitos aumentaram cerca de 237M€ ficando perto dos 20,4mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de junho de 2015, o aumento é cerca de 2,4 mil milhões de euros.

Até breve!