quarta-feira, 20 de junho de 2018



Reversão da privatização da TAP não foi eficiente, diz TdC. Estado não manda, mas assume mais riscos do que privados

Boas leituras!

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Dívida Pública Portuguesa - ABR/2018 - IGCP



A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de abril de 2018, o valor de 245.450.569.168€.

Como sempre, apresento os números para os últimos 12 meses, para se ter uma ideia da evolução do aumento da dívida.

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

2018 : + 3.918.598 € (últimos 12 meses terminados em ABR/2018)
2017 : + 5.425.519 €
2016 : + 27.103.923 €
2015 : + 25.305.121 €
2014 : + 35.271.397 €
2013 : + 26.667.217 €
2012 : + 53.616.271 €
2011 : + 63.331.160 €
2010 : + 52.132.112 €
2009 : + 39.133.457 €

Em março de 2018 a dívida emitida aumentou 4.377.780.459 € relativamente ao mês anterior. Preocupante, pois este montante sobre o qual incidem os juros a pagar.

Comentários:

1. Em abril foram resgatados 13M€ em certificados de aforro e subscritos 127M€ de certificados do tesouro (saldo 114M€).

(*) 2 . 14.0% (14.2% no mês passado) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (6.950M€).

Até breve!

(*) havia um erro no valor das OTRV. Agora está correto. Os meses anteriores deixo o valor errado. Não é muito relevante para a informação que coloco aqui.

terça-feira, 29 de maio de 2018

Execução Orçamental - ABR/2018



Com 4 meses de 2018 decorridos, comparamos aqui os períodos

maio/2017 >> abril/2018  vs.  maio/2016 >> abril/2017

Receita Total : 46,130M€ ( + 2.377M€ ; + 5.4% )

Receitas fiscais : 42,394M€ ( + 2.489M€ ; + 6.2%)

IRS : 11,899M€ ( - 11M€ ; - 0.1%)
IRC : 5,763€ ( + 664M€ ; + 13.0%)
IVA : 16,330M€ ( + 1.136M€ ; + 7.5%)
ISP : 3,405M€ ( + 118M€ ; + 3.6%)

Despesa Total : 50,868M€ ( + 580M€ ; + 1.2%)

Despesa Corrente Primária : 43,433M€ ( + 619€ ; + 1.4%)
Despesa de Capital : 1,764€ ( + 140€ ; + 8.6%)
Despesas com juros : 7,436M€ ( - 39M€ ; - 0.5%)

Saldo Primário : + 2.697M€ ( melhorou 1.758M€ )

Saldo : -4.738M€ ( melhorou 1.797M€ ; corresponde a 2.5% do PIB projetado para 2018)

As contas melhoraram? Sim. Mas o Saldo continua bem negativo.

As receitas continuam a crescer muito acima da economia e as despesas um pouco abaixo.
Não dá para continuar assim muito tempo

Até breve!

segunda-feira, 21 de maio de 2018

Dívida Pública Portuguesa - MAR/2018 - Dados do Banco de Portugal



 Evolução da dívida líquida (as regras de contabilização da dívida líquida foram alteradas e, com isto, os valores assinalados com * não são comparáveis com os seguintes)

(em mil milhões de €)

Março de 2018 : 223.233 (boletim 05/2018)
Dezembro de 2017 : 223.003
Dezembro de 2016 : 218.419
Dezembro de 2015 : 218.093*
Dezembro de 2014 : 208.195*
Dezembro de 2013 : 196.304*
Dezembro de 2012 : 187.900*
Dezembro de 2011 : 170.904*
Dezembro de 2010 : 158.736*

Variação diária da dívida líquida:

2018 : + 2.555.556€ (entre final de mar/2017 e final de mar/2018)
2017 : + 12.558.904€
2016 : + 15.814.208€
2015 : + 26.065.753€
2014 : + 32.394.521€
2013 : + 23.024.658€
2012 : + 46.437.158€
2011 : + 33.336.986€

Em março de 2018, os depósitos aumentaram cerca de 52M€ ficando em cerca de 25,3 mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de março de 2017, o aumento é cerca de 2,2 mil milhões de euros.

O ritmo de aumento da dívida pública é menor, mas a dívida pública não diminuiu, ao contrário do que por vezes se vê/lê por aí.

Até breve!

quinta-feira, 17 de maio de 2018

Dívida Pública Portuguesa - MAR/2018 - IGCP



A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de março de 2018, o valor de 241.072.788.708€.

Como sempre, apresento os números para os últimos 12 meses, para se ter uma ideia da evolução do aumento da dívida.

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

2018 : + 2.875.517 € (últimos 12 meses terminados em MAR/2018)
2017 : + 5.425.519 €
2016 : + 27.103.923 €
2015 : + 25.305.121 €
2014 : + 35.271.397 €
2013 : + 26.667.217 €
2012 : + 53.616.271 €
2011 : + 63.331.160 €
2010 : + 52.132.112 €
2009 : + 39.133.457 €

Em março de 2018 a dívida emitida aumentou 612.300.446 € relativamente ao mês anterior.

Comentários:

1. Em janeiro foram resgatados 12M€ em certificados de aforro e subscritos 117M€ de certificados do tesouro (saldo 105M€).

2. 13.7% (13.6% no mês passado) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (5.650M€).

Até breve!

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Execução Orçamental - MAR/2018



Com 3 meses decorridos, os números que incluem o período de abril de 2017 a março de 2018, comparados com o período de abril de 2016 a março de 2017, estão assim:

Receita Total : 46,021M€ ( + 1.759M€ ; + 4.0% )

Receitas fiscais : 42,732M€ ( + 2.359M€ ; + 5.8%)

IRS : 12,067M€ ( - 300M€ ; - 2.4%)
IRC : 5,761€ ( + 668M€ ; + 7.1%)
IVA : 16,294M€ ( + 1.084M€ ; + 7.1%)
ISP : 3,386M€ ( - 44M€ ; - 1.3%)

Despesa Total : 50,414M€ ( + 257M€ ; + 0.5%)

Despesa Corrente Primária : 43,345M€ ( + 529€ ; + 1.2%)
Despesa de Capital : 1,682€ ( + 127€ ; + 8.2%)
Despesas com juros : 7,069M€ ( - 273M€ ; - 3.7%)

Saldo Primário : + 2.677M€ ( melhorou 1.230M€ )

Saldo : -4.392M€ ( melhorou 1.503M€ ; corresponde a 2.3% do PIB projetado para 2018)

As contas melhoraram? Sim. Mas o Saldo continua bem negativo.

Até breve!

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Dívida Pública Portuguesa - FEV/2017 - Dados do Banco de Portugal



 Evolução da dívida líquida (as regras de contabilização da dívida líquida foram alteradas e, com isto, os valores assinalados com * não são comparáveis com os seguintes)

(em mil milhões de €)

Fevereiro de 2018 : 223.288 (boletim 04/2018)
Dezembro de 2017 : 223.003
Dezembro de 2016 : 218.419
Dezembro de 2015 : 218.093*
Dezembro de 2014 : 208.195*
Dezembro de 2013 : 196.304*
Dezembro de 2012 : 187.900*
Dezembro de 2011 : 170.904*
Dezembro de 2010 : 158.736*

Variação diária da dívida líquida:

2018 : + 13.712.328€ (entre final de fev/2017 e final de fev/2018)
2017 : + 12.558.904€
2016 : + 15.814.208€
2015 : + 26.065.753€
2014 : + 32.394.521€
2013 : + 23.024.658€
2012 : + 46.437.158€
2011 : + 33.336.986€


Em fevereiro de 2018, os depósitos aumentaram cerca de 110M€ ficando em cerca de 25,2 mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de fevereiro de 2018, o aumento é cerca de 2,5 mil milhões de euros.

O ritmo de aumento da dívida pública parece, de algum modo, ter estagnado. A dívida pública não diminuiu, ao contrário do que por vezes se vê/lê por aí.

Até breve!

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Dívida Pública Portuguesa - FEV/2018 - IGCP



A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de janeiro de 2018, o valor de 240.460.488.262€ .

Como sempre, apresento os números para os últimos 12 meses, para se ter uma ideia da evolução do aumento da dívida.

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

2018 : - 242.074€ (últimos 12 meses terminados em FEV/2018)
2017 : + 5.425.519 €
2016 : + 27.103.923 €
2015 : + 25.305.121 €
2014 : + 35.271.397 €
2013 : + 26.667.217 €
2012 : + 53.616.271 €
2011 : + 63.331.160 €
2010 : + 52.132.112 €
2009 : + 39.133.457 €

Em fevereiro de 2018 mês a dívida emitida aumentou 1.700.978.185 € relativamente ao mês anterior.

Comentários:

1. Em janeiro foram resgatados 13M€ em certificados de aforro e subscritos 102M€ de certificados do tesouro (saldo 89M€).

2. 13.6% (13.7% no mês passado) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (5.650M€).

3. A dívida emitida nos últimos 12 meses voltou a diminuir! Este dado terá de ser comparado com os da dívida líquida mas, em todo o caso, é bastante positivo pois é este valor sobre o qual estamos a pagar juros.

Até breve!

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Execução Orçamental - FEV/2018



Como sempre, os números que aqui coloco são o das receitas e despesas do Estado. A Segurança Social, Autarquias e Regiões Autónomas estão de fora. De futuro, deverei incluir este dois últimos.

A austeridade continua, traduzida na forma de um aumento da cobrança fiscal de 6.3%.

Com 2 meses decorridos, os números que incluem o período de março de 2017 a fevereiro de 2018, comparados com o período de março de 2016 a fevereiro de 2017, estão assim:

Receita Total : 46,026M€ ( + 1.997M€ ; + 4.5% )

Receitas fiscais : 42,694M€ ( + 2.519M€ ; + 6.3%)

IRS : 12,317M€ ( + 206M€ ; + 1.7%)
IRC : 5,815€ ( + 732M€ ; + 14.4%)
IVA : 16,143M€ ( + 1.013M€ ; + 6.7%)
ISP : 3,451M€ ( + 103M€ ; + 3.1%)

Despesa Total : 50,435M€ ( + 321M€ ; + 0.6%)

Despesa Corrente Primária : 43,373M€ ( + 623€ ; + 1.5%)
Despesa de Capital : 1,710€ ( + 182€ ; + 11.9%)
Despesas com juros : 7,062M€ ( - 302M€ ; - 4.1%)

Saldo Primário : + 2.652M€ ( melhorou 1.374M€ )

Saldo : -4.410M€ ( melhorou 1.676M€ ; corresponde a 2.5% do PIB projetado para 2018)

Até breve!

sexta-feira, 16 de março de 2018

Dívida Pública Portuguesa - JAN/2017 - Dados do Banco de Portugal



Evolução da dívida líquida (as regras de contabilização da dívida líquida foram alteradas e, com isto, os valores assinalados com * não são comparáveis com os seguintes)

(em mil milhões de €)

Janeiro de 2018 : 223.322 (boletim 03/2018)
Dezembro de 2017 : 223.003
Dezembro de 2016 : 218.419
Dezembro de 2015 : 218.093*
Dezembro de 2014 : 208.195*
Dezembro de 2013 : 196.304*
Dezembro de 2012 : 187.900*
Dezembro de 2011 : 170.904*
Dezembro de 2010 : 158.736*

Variação diária da dívida líquida:

2018 : + 10.290.323€
2017 : + 12.558.904€
2016 : + 15.814.208€
2015 : + 26.065.753€
2014 : + 32.394.521€
2013 : + 23.024.658€
2012 : + 46.437.158€
2011 : + 33.336.986€


Em janeiro de 2017, os depósitos diminuiram cerca de 57M€ ficando em cerca de 25,1 mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de janeiro de 2017, o aumento é cerca de 2,5 mil milhões de euros.

Relativamente ao post anterior, em que a dívida pública emitida se mostra ter diminuido nos últimos 12 meses, há que considerar os dados que agora divulgo. Em todo o caso, o comentário feito no post anterior é válido: há menos dívida onde os juros incidem.

Até breve!