quarta-feira, 29 de maio de 2019

Dívida Pública Portuguesa - Mar/2019 - Dados do Banco de Portugal



Evolução da dívida líquida
(as regras de contabilização da dívida líquida foram alteradas e, com isto, os valores assinalados com * não são comparáveis com os seguintes)

(em mil milhões de €)

Março de 2019 : 227.685 (boletim 05/2019)
Dezembro de 2018 : 228.281
Dezembro de 2017 : 223.003
Dezembro de 2016 : 218.419
Dezembro de 2015 : 218.093*
Dezembro de 2014 : 208.195*
Dezembro de 2013 : 196.304*
Dezembro de 2012 : 187.900*
Dezembro de 2011 : 170.904*
Dezembro de 2010 : 158.736*

Variação diária da dívida líquida:

2019 : + 11.873.973€ (últimos 12 meses terminados em mar/2019)
2018 : + 14.515.068€
2017 : + 12.558.904€
2016 : + 15.814.208€
2015 : + 26.065.753€
2014 : + 32.394.521€
2013 : + 23.024.658€
2012 : + 46.437.158€
2011 : + 33.336.986€

Em março de 2019, os depósitos aumentaram cerca de 417M€ (relativamente a dez/2018) ficando em cerca de 27,0 mil milhões de €.

Até breve!

segunda-feira, 27 de maio de 2019

Dívida Pública - ABR/2019 - Dados IGCP



Há algum tempo que não atualizo o blog, mas vai sendo tempo de ver quanto devemos...

A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de abril de 2019, o valor de 245.558.454.097€.


Como sempre, apresento os números para os últimos 12 meses, para se ter uma ideia da evolução do aumento da dívida.

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

2019 : + 18.494.758 € (últimos 12 meses terminados em ABR/2019)
2018 : + 19.987.214 €
2017 : + 5.425.519 €
2016 : + 27.103.923 €
2015 : + 25.305.121 €
2014 : + 35.271.397 €
2013 : + 26.667.217 €
2012 : + 53.616.271 €
2011 : + 63.331.160 €
2010 : + 52.132.112 €
2009 : + 39.133.457 €

Em abril de 2019 a dívida emitida aumentou 6.642.701.773 € relativamente ao final de dezembro de 2018.

Comentários:

1. Em 2019, até final de abril aumentou em 57M€ o saldo em certificados de aforro e aumentou em 340M€ o de certificados do tesouro (saldo 397M€).

2 . 14.1% (14.4% em dez/2019) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (6.950M€).

Até breve!

quinta-feira, 2 de maio de 2019

sábado, 30 de março de 2019

Eleições Europeias 2019 - algumas inovações



Tirado daqui (eu editei para realçar o que considero mais importante)

Há cinco alterações a ter em conta nas próximas eleições e que, não mudando radicalmente o sistema, vêm trazer alterações que podem ser significativas os cidadãos. Já a começar nas europeias do próximo dia 26 de maio,
  1. vai estar disponível em projeto-piloto o voto eletrónico presencial no distrito de Évora;
  2. o voto antecipado em mobilidade,
  3. a disponibilização de uma matriz em braille para os cidadãos com problemas de visão,
  4. a eliminação do número de eleitor e
  5. o recenseamento automático dos cidadãos portugueses residentes no estrangeiro.

Em entrevista à TSF, a secretária de Estado adjunta e da administração interna, Isabel Oneto, explica todas as alterações e deixa a garantia de que "nenhuma das alterações que está a ser introduzida põe em causa a fiabilidade do sistema".
Não vou estar junto da minha secção de voto no dia das eleições. Posso votar antes?
A resposta é sim, desde que avise a administração eleitoral. O motivo, só a si pertence.
(...) Até à última alteração, com exceção dos reclusos e doentes, só podiam votar antecipadamente os cidadãos que fizessem prova junto da administração eleitoral por motivos de atividade profissional ou por motivos de estudo.(...) Portanto, damos a faculdade de, havendo uma comunicação a dizer "eu não estou e, portanto, preciso de votar antecipadamente", o eleitor pode votar no domingo anterior nas sedes dos distritos. 'Eu sou de Bragança mas estou no Algarve durante um mês', no domingo antes das eleições ele vai a Faro e vota. Tem lá o boletim de voto dele...
(...) Não pode haver uma permanente desconfiança da administração eleitoral perante os eleitores sobre as razões que o levam a não votar e a ter de se justificar para poder votar. Eliminámos os requisitos objetivos para o exercício do voto antecipado, alargando o seu âmbito subjetivo.
(...) E quais são os prazos?
Tem de haver uma comunicação entre o 14.º e o 10.º dia antes das eleições e vai haver um sistema no site do Ministério da Administração Interna.

quinta-feira, 14 de março de 2019

Execução Orçamental - jan/2019



Com as contas de janeiro de 2019 já disponíveis, comparamos aqui os períodos

fevereiro/2017 >> janeiro/2018  vs.  fevereiro/2018 >> janeiro/2019


Receita Total : 48,476M€ ( + 2.666M€ ; + 5.8% )

Receitas fiscais : 44,895M€ ( + 2.459M€ ; + 5.8%)

IRS : 13,002M€ ( + 675M€ ; + 5.5%)
IRC : 6,392€ ( + 595M€ ; + 10.3%)
IVA : 16,817M€ ( + 758M€ ; + 4.7%)
ISP : 3,422M€ ( + 55M€ ; + 1.6%)

Despesa Total : 51,697M€ ( + 1.339M€ ; + 2.7%)

Despesa Corrente Primária : 44,513M€ ( + 1.235€ ; + 2.9%)


Despesa de Capital : 2,017€ ( + 296€ ; + 17.2%)
Despesas com juros : 7,184M€ ( + 86M€ ; + 1.2%)

Saldo Primário : + 3,964M€ ( melhorou 1.431M€ )

Saldo : -3,221M€ ( melhorou 1.327M€ ; corresponde a 1.7% do PIB projetado para 2019)

As contas estão a melhorar? Sim. Como?

As receitas fiscais crescem 5,8% ;
despesa corrente primária cresce 2,7% ; muito acima do crescimento do PIB previsto para 2019. Isto não vai dar bom resultado...

Até breve!

quarta-feira, 6 de março de 2019

Execução Orçamental - 2018



2018 terminou. Os números comparam 2017 com 2018:


Receita Total : 47,886M€ ( + 2.301M€ ; + 5.0% )

Receitas fiscais : 44,300M€ ( + 2.220M€ ; + 5.0%)

IRS : 12,910M€ ( + 679M€ ; + 5.6%)
IRC : 6,339€ ( + 591M€ ; + 10.3%)
IVA : 16,651M€ ( + 674M€ ; + 4.2%)
ISP : 3,285M€ ( - 80M€ ; - 2.4%)

Despesa Total : 51,469M€ ( + 1.062M€ ; + 2.1%)

Despesa Corrente Primária : 44,323M€ ( + 1.039€ ; + 2.4%)
Despesa de Capital : 2,002€ ( + 272€ ; + 15.7%)
Despesas com juros : 7,147M€ ( + 23M€ ; + 0.3%)

Saldo Primário : + 3,563M€ ( melhorou 1.262M€ )

Saldo : -3,583M€ ( melhorou 1.239M€ ; corresponde a 1.9% do PIB projetado para 2018)


As contas melhoraram? Sim. Como?

As receitas fiscais crescem 5,0% ;

despesa corrente primária cresce 2,4% ;

Despesas controladas? Sim, desde que as receitas fiscais as cubram...

Até breve!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Dívida Pública Portuguesa - Dez/2018 - Dados do Banco de Portugal



Evolução da dívida líquida
(as regras de contabilização da dívida líquida foram alteradas e, com isto, os valores assinalados com * não são comparáveis com os seguintes)

(em mil milhões de €)

Dezembro de 2018 : 228.301 (boletim 01/2019)
Dezembro de 2017 : 223.003
Dezembro de 2016 : 218.419
Dezembro de 2015 : 218.093*
Dezembro de 2014 : 208.195*
Dezembro de 2013 : 196.304*
Dezembro de 2012 : 187.900*
Dezembro de 2011 : 170.904*
Dezembro de 2010 : 158.736*

Variação diária da dívida líquida:

2018 : + 14.515.068€
2017 : + 12.558.904€
2016 : + 15.814.208€
2015 : + 26.065.753€
2014 : + 32.394.521€
2013 : + 23.024.658€
2012 : + 46.437.158€
2011 : + 33.336.986€

Em dezembro de 2018, os depósitos diminuiram cerca de 276M€ ficando em cerca de 26,5 mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de 2018, o aumento é cerca de 1,7 mil milhões de euros, relativamente ao final de 2017.

14,5 milhões de euros por dia! Em 2018.

Até breve!

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Dívida Pública - DEZ/2018 - Dados IGCP



Tempo de balanço, fecho de 2018!

A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de novembro de 2018, o valor de 245.558.454.097€.

Aumentou quase 20 milhões de € por dia, em 2018.

Como sempre, apresento os números para os últimos 12 meses, para se ter uma ideia da evolução do aumento da dívida.

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

2018 : + 19.987.214 € (nos 12 meses de 2018)
2017 : + 5.425.519 €
2016 : + 27.103.923 €
2015 : + 25.305.121 €
2014 : + 35.271.397 €
2013 : + 26.667.217 €
2012 : + 53.616.271 €
2011 : + 63.331.160 €
2010 : + 52.132.112 €
2009 : + 39.133.457 €

Em dezembro de 2018 a dívida emitida diminuiu 1.805.243.040 € relativamente a novembro.

Comentários:

1. Em dez/2018 aumentou em 12M€ o saldo em certificados de aforro e aumentou em 99M€ o de certificados do tesouro (saldo 111M€).

2 . 14.4% (14.2% em novembro) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (6.950M€).

Até breve!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Dívida Pública Portuguesa - Nov/2018 - Dados do Banco de Portugal



Evolução da dívida líquida (as regras de contabilização da dívida líquida foram alteradas e, com isto, os valores assinalados com * não são comparáveis com os seguintes)

(em mil milhões de €)

Novembro de 2018 : 225.046 (boletim 01/2019)
Dezembro de 2017 : 223.003
Dezembro de 2016 : 218.419
Dezembro de 2015 : 218.093*
Dezembro de 2014 : 208.195*
Dezembro de 2013 : 196.304*
Dezembro de 2012 : 187.900*
Dezembro de 2011 : 170.904*
Dezembro de 2010 : 158.736*

Variação diária da dívida líquida:

2018 : + 6.116.766€ (entre final de nov/2017 e final de nov/2018)
2017 : + 12.558.904€
2016 : + 15.814.208€
2015 : + 26.065.753€
2014 : + 32.394.521€
2013 : + 23.024.658€
2012 : + 46.437.158€
2011 : + 33.336.986€

Em novembro de 2018, os depósitos aumentaram cerca de 43M€ ficando em cerca de 26,8 mil milhões de €.

Relativamente aos depósitos no final de novembro de 2017, o aumento é cerca de 1,7 mil milhões de euros.

Até breve!

sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Dívida Pública - NOV/2018 - Dados IGCP



A dívida emitida pelo IGCP tinha, no final de novembro de 2018, o valor de 247.363.697.137€.

Como sempre, apresento os números para os últimos 12 meses, para se ter uma ideia da evolução do aumento da dívida.

A variação média diária, nos períodos indicados, foi a seguinte:

2018 : + 24.242.355 € (últimos 12 meses terminados em NOV/2018)
2017 : + 5.425.519 €
2016 : + 27.103.923 €
2015 : + 25.305.121 €
2014 : + 35.271.397 €
2013 : + 26.667.217 €
2012 : + 53.616.271 €
2011 : + 63.331.160 €
2010 : + 52.132.112 €
2009 : + 39.133.457 €

Em novembro de 2018 a dívida emitida aumentou 1.532.125.246 € relativamente a agosto.

Comentários:

1. Em set/out/nov diminuiu em 8M€ o saldo em certificados de aforro e aumentou em 181M€ o de certificados do tesouro (saldo 173M€).

2 . 14.2% (14.2% em agosto) do total da dívida é detida, diretamente, por particulares via certificados de aforro e certificados do tesouro. Este número inclui as novas obrigações do tesouro rendimento variável (6.950M€).

Até breve!