quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Execução Orçamental - NOV/2014



Retomo aqui os números referentes à média móvel de 12 meses. Isto significa que os dados aqui expostos referem-se aos últimos 12 meses terminados em NOV/2014, isto é, o período de DEZ/2013 a NOV/2014.

Receita Total : 42,463.7M€ ( + 1,985.8M€ ; + 4.9% )
Das quais :
Receitas fiscais : 38,237.4M€ ( + 3,505.4M€ ; + 10.1%)
IRS : 13,268.1€ ( + 1,669.9M€ ; + 14.1%)
IRC : 4,899.3€ ( + 300.3M€ ; + 6.5%)
IVA : 14,089.5€ ( + 1117.7M€ ; + 8.6%)
ISP : 2,105.2€ ( + 29.0M€ ; + 1.4%)

Despesa Total : 48,910.9M€ ( - 1414.4M€ ; - 2.8%)
Despesa Corrente Primária : 41,890.9€ ( - 1,615.7M€ ; - 3.7%)
Despesa de Capital : 1,409.7€ ( - 638.9M€ ; - 31.2%)

Saldo : - 6,447.2M€ ( melhorou 3,400.2€ ; fixando-se em aprox. -3.8% PIB previsto em 2014 )

Saldo primário : 572.8M€ ( melhorou 3,601.5€)

Comentários:
  • Receita fiscal :  aumento muito significativo;
  • Despesa corrente primária : descida que parece ténue, mas tendo em conta o peso do Estado, parece-me bem animadora;
  • Saldo primário : + 573M€ : continua positivo, bom sinal!
  • Juros : subida de 3.0% enquanto que a dívida subiu 5.5%, positivo!
Curiosidades, acerca do ano de 2014 até final de novembro:
  1. os juros CoCo bonds renderam 228.8M€;
  2. as multas do código da estrada renderam 62.0M€ (-12.4%) não parece haver caça-à-multa...
  3. Variação das despesas com pessoal : + 2.3% ( + 193M€ )
  4. Variação das despesas juros : + 2.6% ( + 177M€ )
No final de Janeiro de 2015, procederei a uma actualização desta secção do blog, com os dados referentes a 2014 quase fechados.

Até breve!

5 comentários:

Cobra disse...

Boa tarde
Penso que falta evidenciar que a dívida publica total aumentou cerca de 15 mil milhões de euros em 2014.

Estarei certo ou errado?
Cumprimentos
José Pires

Trader disse...

Na verdade, até NOV/2014 aumentou cerca de 14 mil milhões.

Aquilo que se constata é que o aumento em termos percentuais é menor que nos últimos anos.

Embora isto seja a dívida emitida, e não tem em conta o dinheiro em caixa, mas o aumento deverá ser dessa ordem de grandeza.

Os dados do Banco de Portugal é que costumam ter a indicação da dívida líquida, isto é, retirandfo à dívida emitida os depósitos disponíveis.

Paradigm + disse...

Este blog mais parece um blog de propaganda do governo.
A divida aumenta, mas todo o discurso é positivo, dando a ideia há uma solução e que vai ficar tudo bem.

É como um carro que se dirige para um precipício e alguém que só porque o carro já não acelera, fala e reage como se ele está a invertido a marcha, ignorando a direcção.

Se alguma se fez foi para salvar grande apostadores/investidores e não os trabalhadores, este blogue é uma treta.

Trader disse...

Registo a sua opinião, embora dela discorde.

O génese do blog esteve precisamente no alerta que quis dar, há uns anos, quando a dívida aumentava a um ritmo bem mais acelerado que nos últimos tempo e ninguém falava disto.

Jornais, TV, políticos, todos omitiam o descalabro a que se estava a chegar.

Este blog começou um ano antes do tema chegar às televisões, depois de me sentir sozinho e apologista da desgraça em conversas com colegas, família e amigos acerca do rumo das contas públicas e daquilo que iríamos penar durante muitos anos por causa disso.

Enviei email a todos os grupos parlamentares a pedir que o tema fosse levado à discussão pública e que se difundisse a informação acerca da dívida de forma geral, a todo o país, para que se pudesse começar a contrariar a sua evolução.

Registei, com agrado, que um (1!) grupo parlamentar me respondeu, e o tema alguns meses depois veio mesmo para a praça pública, com o desfecho que conhecemos.

A partir desse momento, o blog limita-se continuar a divulgar os números, de forma desinteressada, para verificar a evolução dos mesmos.

Espero que muitos continuem a achar útil esta divulgação.

skeptikos disse...

Contrariando a opinião de que este blog é um blog propagandista do governo actual, eu agradeço a informação - isenta - disponibilizada e partilho-a o mais que posso. Assim, se evita a censura que determinados propagandistas da livre expressão apenas para o que lhes convém e/ou lhes dá jeito.
Em meu nome pessoal, os meus agradecimentos pelo excelente serviço público!
Bom ano também.